Vouzela lança projeto turístico para a EN16 que envolve 15 municípios




O presidente da Câmara Municipal de Vouzela, afirmou na passada quarta-feira, que arrancou com um projetoligado à Estrada Nacional 16 (EN16), que envolve 15 municípios, de promoção turística, à semelhança do que acontece com a EN2.

Rui Ladeira, falava durante a cerimónia de um livro de homenagem ao chefe António Silva, que decorreu no mercado municipal de Vouzela.

O autarca vouzelense, contou que foi promotor de uma reunião com todos os municípios que são atravessados pela EN16, de forma que, “todos juntos”, possam “criar um produto turístico estruturado que permita manter as pessoas no território e valorizar a identid ade” desta via, que “foi o grande corredor económico, antes da A25, e que se pode voltar a potenciar”.

Ao mesmo tempo, continuou o autarca, “pode ser trabalhado este corredor, recuperando toda a identidade sinalética, alguma destruída pelos incêndios, o corredor arbóreo, e também o comércio local”.

Assim, Rui Ladeira disse que espera que “os 225 quilómetros da EN16 venham também a ter muito daquilo que são as boas práticas do desenvolvimento dos territórios, nomeadamente no interior do país”.

Á margem da cerimónia do lançamento do livro, Rui Ladeira, falou à reportagem da Lafões, sobre este projeto, realçado a sua importância, quer para o desenvolvimento, quer para a economia da região.

 

Rui Ladeira mostrou-se satisfeito com o primeiro encontro, uma vez que também estiveram presentes “outras entidades, como o Turismo de Portugal, a AHRESP [Associação da Hotelaria, restauração e Similares de Portugal] e a Infraestruturas de Portugal”, que têm uma “interferência direta” no processo.

“Queremos fazer da EN16 um projeto âncora para o nosso país, mas principalmente, e em particular, para a nossa região”, sublinhou Rui Ladeira, que reconheceu a “necessidade de requalificar, em alguns troços,” esta via, mas que “a seu tempo, certamente, também será feito”.

O presidente da Câmara Municipal de Viseu reconheceu ontem, no final da reunião do executivo, que a EN16 “tem fortes potencialidades” e, tendo em conta que é no concelho de Viseu que a EN16 se cruza com a EN2, Fernando Ruas disse que o executivo está “muito interessado na alavancagem desta estrutura”.

“Até pela sua dimensão que é mais apetecível a quem quer fazer um trajeto de fim de semana, sem ter necessidade de deixar para outro fim de semana, como poderá acontecer com a EN2. Portanto, a EN16 tem condições para ter um êxito ainda maior do que a EN2 e pode ser uma ajuda nestes territórios do interior”, reconheceu.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook