Viseu inicia agenda cultural dedicada à poesia com música e arte urbana




Viseu recebe no fim de semana iniciativas musicais e de arte urbana ligadas ao programa cultural “Dizer Poesia”, que está previsto para maio, mas que começa já a “ganhar forma” na agenda cultural do município.

“Neste novo ano, a nossa agenda cultural está a ganhar forma e o Município de Viseu está empenhado em apresentar novos pretextos que permitam a viseenses e visitantes viver a cidade e o que de melhor esta tem para oferecer”, justificou o presidente da Câmara Municipal de Viseu.

Fernando Ruas referiu que, no fim de semana, “o ‘Dizer Poesia’ dá-se a conhecer com algumas ações e apresentações que promovem a interação entre a arte e a comunidade, antevendo assim aquele que será o concretizar do evento principal, de 27 a 29 de maio”.

Este “levantar da cortina” do programa literário é “um assinalar simbólico daqueles que são dois dias marcantes: o Dia Mundial da Poesia e o Dia Mundial da Árvore, assinalados a 21 de março”.

A vereadora da Cultura, Turismo e Património disse que, “para já, todos são convidados a beber inspiração nestas breves notas poéticas, uma espécie de prefácio do grande poema que está para vir”, em maio, altura em que inicia uma “programação consistente” de verão.

“A pandemia de covid-19 continua a colocar-nos alguns entraves, mas não baixamos os braços. O município está motivado em alavancar novos projetos e iniciativas culturais e é isso que nos leva à apresentação do ‘Dizer Poesia’”, sublinhou Leonor Barata.

Para já, na sexta-feira, o Solar do Vinho do Dão recebe “uma apresentação única, que alia a música clássica e a poesia (declamada)”, com o Conservatório Regional de Música de Viseu Dr. José de Azeredo Perdigão e o Grupo ArDemente.

A “Brigada Poética”, que nasceu para este evento, “sairá à rua, pela primeira vez, durante as tardes do fim de semana”, com uma “proposta de intervenção artística em espaço público”, resultante de uma parceria com a Escola Superior de Educação de Viseu.

“É constituída por portadores de Árvores-Poema, que irão deambular pelas praças e ruas da cidade, nomeadamente do Centro Histórico, com rastos/caudas poéticas, desafi­ando todas as pessoas que caminham pelo espaço público a deixar-se encantar pelas ‘sementes poéticas’ que estes vão lançando”.

A designer e ilustradora Rosário Pinheiro e a artista plástica e ilustradora Inês Flor serão responsáveis pela concretização “de um projeto de arte urbana, especialmente desenhado para o evento”, com “pequenas frases ou excertos de poemas e textos” de diversos autores.

Aquilino Ribeiro, Judith Teixeira, Ana de Castro Osório, Tomás Ribeiro e Camilo Castelo Branco são alguns dos autores que terão as suas palavras “pintadas em muros, caixas de eletricidade, escadas/escadarias, arcos, pavimento, paredes ou bancos de jardim”.

Tilhon, Mara Pedro e Domini são o trio que protagoniza um breve concerto acústico (15:30, de sábado, no Rossio), “onde o rap e o fado, também eles formas de expressão, de construção linguística e de poesia, em diferentes contextos, são exaltados e celebrados, quer em concerto como numa conversa entre os artistas”.

No mesmo dia, “o Jardim das Mães terá uma árvore/recanto especial, abrigo de poemas escritos em papel, os quais poderão ser retirados e lidos pelos amantes da poesia” de forma a “celebrar os exemplares arbóreos como elementos primordiais de Viseu”, para assinalar o Dia Mundial da Árvore.

“Saramago também é poesia” é outra das iniciativas programadas para o sábado, pelas 16:00, na Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva, e será protagonizada pelo Grupo OFF/AFTA.

“De salientar que os autores, poemas e textos associados ao ‘Dizer Poesia’, nomeadamente à ‘Brigada Poética’, às intervenções de arte urbana e ao projeto no Jardim das Mães foram eleitos tendo por base a ligação destes com a cidade-região”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Facebook