Teatro Viriato encerra a temporada com “A Matança Ritual de Gorge Mastromas”




Depois da estreia no Teatro Nacional D. Maria II, A Matança Ritual de Gorge Mastromas apresenta-se em Viseu, encerrando a temporada de espectáculos que antecede o verão, nos 20 anos do Teatro Viriato.

Com encenação de Tiago Guedes, o texto, do dramaturgo inglês Dennis Kelly, aborda a complexidade da natureza humana e a sua relação com a bondade e a malvadez, através da história de um homem.

A peça começa com a descrição da infância de Gorge, interpretado por Bruno Nogueira, que culmina num primeiro momento de decisão. Perante a humilhação de um amigo, Gorge tem que decidir se o abandona ou permanece a seu lado. “Terá sido bondade ou cobardia?” questiona um coro composto pelos atores António Fonseca, Beatriz Maia, Inês Rosado, José Neves, Luís Araújo e Rita Cabaço. Esta é a pergunta que, ao longo da peça, se vai repetindo, como se se tratasse da voz da consciência que ressoa na mente de Gorge.

A sequência de decisões que definem o percurso da sua vida leva-o a um momento em que é obrigado a olhar para o mundo através de uma nova perspectiva, dizem-lhe: “A existência não é aquilo que até este momento pensaste que era. Não é honesta, não é gentil, não é justa. A maior parte do mundo não faz ideia disso, acreditam em Deus, ou no paizinho ou em Marx ou na mão invisível do mercado ou em honestidade ou bondade. Atravessam a vida de olhos fechados, a levar porrada e ser lixados. Ele é assim. Tu és assim. Mas uma ínfima parte de nós, chamemo-nos a resistência, sabemos a verdadeira natureza da vida. É-nos dado o mundo. Somos poderosos e ricos e temos tudo, porque faremos tudo o que for preciso. O resto do mundo será sempre carne para nós, gado, animais para serem pastoreados e por vezes caçados.”

“Bondade ou cobardia?” A voz do coro vai-se tornando cada vez menos presente. Paralelamente, Gorge toma decisões cada menos guiado por uma bússola moral, mas pela vontade de ser bem sucedido.
Ainda que o bem e o mal façam parte da história de Gorge, assim como da humanidade, a peça não pretende fazer um julgamento. No fim de contas, Tiago Guedes não nos guia para uma moral, mas para a reflexão.

A Matança Ritual de Gorge Mastromas estará em cena no dia 04 de Julho, pelas 21h30 e é recomendada para maiores de 14 anos. Os bilhetes têm o custo de 15 euros para a plateia e camarotes, 10 euros para as frisas frontais e 7,50 euros para as frisas laterais e podem ser adquiridos na bilheteira física do Teatro ou online através do site www.teatroviriato.com.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Facebook