São Pedro do Sul recebe 195 mil euros para medidas de emergência devido à seca




O concelho de São Pedro do Sul vai receber 195 mil euros para intervenções de emergência destinadas a minimizar os impactos da seca severa, no âmbito de um protocolo ontem celebrado, entre o município sampedrense e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

Segundo Vítor Figueiredo, presidente da câmara municipal de São Pedro do Sul, este investimento servirá para “reforço do sistema de monitorização nos reservatórios, com a instalação de sondas de nível”, e para “serviços de transporte de água” pelas corporações de bombeiros e proteção civil (estimado para os próximos três meses), entre outras medidas.

O autarca afirmou que, no âmbito do protocolo de colaboração técnica e financeira celebrado entre a autarquia e a APA, “será também montado equipamento para apoio ao transporte de água em locais de carga e descarga” e serão feitas “impermeabilizações de reservatórios de água em Vila Nova e Abados”.

Durante a cerimónia, Vítor Figueiredo, destacou o facto de São Pedro do Sul, ser o primeiro concelho do distrito de Viseu, a ser alvo deste tipo de apoios

Na cerimónia de assinatura do protocolo e em representação da APA (Agência Portuguesa do Ambiente), esteve o seu vice-presidente Pimenta Machado.

Este responsável mostrou-se confiante que, em breve, será mais simples reutilizar água das Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) para usos não potáveis.

 Pimenta Machado disse que se encontra em discussão pública um novo diploma que simplificará o uso dessas águas.

Segundo o vice-presidente da APA, já estão a ser regados com esta água campos de golfe no Algarve e o Parque das Nações, em Lisboa, e há mais iniciativas a serem trabalhadas.

A cerimónia de assinatura do protocolo, serviu também, para Nuno Almeida, vereador com o pelouro das águas, no município de São Pedro do Sul, fazer um ponto da situação referente a 31 de agosto. O autarca disse na ocasião, que foram transportados cerca de 10.700 metros cúbicos de água para oito freguesias, encontrando-se cerca de 1.200 edifícios “em risco crítico de falta de água”.

Valadares, Bordonhos, União de Freguesias de São Pedro do Sul, Várzea e Baiões, Serrazes, Vila Maior, Pinho – Sobral, S. Félix – Sacados e Sul – Quintela são consideradas as “zonas críticas” do concelho.

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook