Rearborização de espaços verdes em São Pedro do Sul com candidatura aprovada




A Câmara de São Pedro do Sul viu aprovada uma candidatura no âmbito da “Rearborização de espaços verdes e criação de ilhas-sombra em meio urbano”, que visa garantir a sustentabilidade ambiental, contribuindo para a descarbonização dos espaços urbanos, para a minoração dos efeitos da poluição e para o suporte à biodiversidade.

“Esta intervenção, que representa um investimento de 75 mil euros, comparticipada a 100% pelo Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER, engloba a plantação de 173 árvores e de 923 arbustos, privilegiando as espécies autóctones, a aplicação de sistemas de ancoragem, tutoragem e proteção das árvores”, explicou a Câmara de São Pedro do Sul, no distrito de Viseu.

Ainda de acordo com a Câmara, a intervenção contempla também a “aplicação de casca de pinheiro nos canteiros com arbustos, para manutenção da humidade no solo e controlo natural dos infestantes, e instalação de sistemas de rega automático e de sistemas de bombagem para captação de água, a partir de um recurso hídrico local, que irá abastecer o sistema de rega, evitando a utilização da água da rede pública”.

“Os trabalhos, que serão realizados tanto no Parque Urbano das Nogueiras, em Pouves, e nas margens do Rio Vouga, nas Termas, inclui ainda a instalação de mobiliário urbano, tais como bancos, papeleiras e mesas com bancos, enquadráveis na envolvente”, acrescentou a autarquia.

Corte de árvores no Carvalhedo

Abate de Plátanos
Abate de Plátanos
Entretanto o município de São Pedro do Sul informou que  procedeu ao corte de duas árvores de grande porte na zona do Carvalhedo, nas Termas de S. Pedro do Sul.
De acordo com os relatórios técnicos apresentados, esta era uma intervenção urgente no sentido da salvaguarda da segurança de pessoas e bens.
No decurso da empreitada de reabilitação dos muros em pedra na zona da rua do Carvalhedo, foi verificado que a distribuição de raízes por baixo da estrada em direção ao leito do rio pode ter colocado em causa a estabilidade do pavimento e provocado o desabamento ocorrido.
O relatório, que levou a esta decisão pode ser consultado aqui

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Facebook