Presidente da Câmara de Viseu quer explicação aos portugueses sobre atrasos nas obras




O presidente da Câmara de Viseu considerou hoje que deve ser dada uma explicação aos portugueses sobre os atrasos nas obras verificados um pouco por todo o país, para que não pensem que os municípios são os culpados.

No final da reunião de Câmara, Fernando Ruas (PSD) disse aos jornalistas que, no seu concelho, praticamente “nenhuma obra está dentro do prazo”, uma situação que acontece também no território da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões e em outros pontos do país.

A justificação é a mesma em todo o lado – “pandemia, dificuldade de materiais, falta de mão de obra” – e, segundo Ruas, isso devia ser explicado pela Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e pelo Governo.

“Imaginemos que o material que é necessário nas obras e que é importado não vem. Não é culpa do Governo, mas também não é culpa dos municípios”, afirmou, acrescentando que não deverá ser cada um dos municípios a justificar-se, mas sim haver uma explicação de âmbito nacional.

Na sua opinião, quem liga o televisor e ouve que as obras estão atrasadas aponta o dedo ao município respetivo, “quando o problema é geral e, portanto, as explicações também têm que ser generalizadas”.

O antigo presidente da ANMP e ex-deputado europeu considerou que também devia “haver uma posição nacional nas conversações com a União Europeia” relativamente a esta situação.

“Se a situação, como nos é explicada, também se verifica na Roménia, é mais fácil para quem está com este problema na União Europeia aceder a estes pedidos de haver reprogramações, de adiar a entrega das justificações, etc.”, frisou.

Segundo Fernando Ruas, a CIM Viseu Dão Lafões tem já agendada uma reunião com a presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional, na qual será abordada “a posição dos municípios em relação aos fundos comunitários”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Facebook