“Os Verdes” preocupados com a segurança de quem circula na EN 227

A Estrada Nacional 227 (EN 227) que liga a EN16, em São Pedro do Sul, ao IC2, em São João da Madeira, atravessando os municípios de Oliveira de Frades, Vale de Cambra e Oliveira de Azeméis é uma via de extrema importância, em particular, para populações e freguesias serranas.

 



Esta estrada, para além de servir a população local, diariamente, é também muito utilizada aos fins de semana, por visitantes e turistas, dada a beleza paisagística e qualidade ambiental desta zona, contribuindo para dinamizar a atividade económica destas freguesias que têm vindo sucessivamente a definhar em resultado de más opções e políticas desajustadas, que conduziram ao abandono da agricultura e encerramento de muitos serviços públicos.

Nos últimos três anos, nas proximidades da estrada EN 227, dezenas de pinheiros secaram, alegadamente devido à doença do nemátodo do pinheiro, contudo, permanecem ao alto, situação que está a colocar em causa a segurança de quem circula nessa via, risco que se agrava aquando da ocorrência de tempestades. A situação é particularmente grave no troço que atravessa as freguesias de São João da Serra (Oliveira de Frades) e de Arões (Vale de Cambra).

Segundo uma nota à imprensa, o Partido Ecologista Os Verdes, refere que teve conhecimento de que, por diversas vezes, a Junta de Freguesia de São João da Serra enviou ofícios à Infraestruturas de Portugal a alertar para a gravidade das árvores secas junto à EN 227, todavia, segundo a autarquia, esta entidade não resolve o problema nem tem dado resposta às missivas enviadas.

Para além das árvores em risco, nesta via há um conjunto de sinalização vertical que necessita de ser reposta ou substituída por se encontrar em avançado estado de degradação.

Nesse sentido, a deputada Mariana Silva do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta, em que questiona o Governo, através do Ministério das Infraestruturas e da Habitação, sobre dezenas de pinheiros que secaram,  alegadamente devido à doença do nemátodo do pinheiro, contudo, permanecem ao alto, situação que está a colocar em causa a segurança de quem circula nessa via da Estrada Nacional 227 (EN 227), risco que se agrava aquando da ocorrência de tempestades. A situação é particularmente grave no troço que atravessa as freguesias de São João da Serra (Oliveira de Frades) e de Arões (Vale de Cambra).

A deputada eleita pelo “Os Verdes”, solicitou ao ministério das infraestruturas e da habitação os seguintes esclarecimentos:

“1-Tendo em conta que as árvores secas, junto às vias públicas, representam um risco acrescido para a segurança de quem aí circula, nomeadamente, em altura de maior ventania ou tempestade, está previsto o corte das mesmas?

2- Considerando que a Infraestruturas de Portugal já foi informada, há bastante tempo, deste problema por que motivo as árvores secas ainda não foram cortadas?

3- Para quando é que irá ser reposta ou substituída a sinalização vertical que se encontra em avançado estado de degradação?”




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Facebook