Dezenas de milhares de pessoas esperadas em Lamego nas Festas da Senhora dos Remédios




Dezenas de milhares de pessoas são esperadas a partir de 25 de agosto em Lamego, para as Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios, que vão voltar a incluir todos os eventos que tradicionalmente as caracterizam.

“Vamos ter a programação em pleno, incluindo as atividades principais nos dias festivos de 06, 07 e 08 de setembro, ou seja, a marcha luminosa, a batalha das flores e a procissão do triunfo, em formato normal”, disse hoje à agência Lusa o presidente da Câmara de Lamego, Francisco Lopes.

No seu entender, apesar de, nos últimos anos, a programação ter ficado condicionada devido à pandemia de covid-19, está na altura de “a vida normalizar” e a cidade voltar a encher-se de visitantes que animam a economia local.

Neste âmbito, será feito um investimento de cerca de 400 mil euros nas Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios, também conhecidas como “a romaria de Portugal”.

Segundo Francisco Lopes, “é um investimento que tem um retorno enormíssimo e que é necessário para que a cidade tenha esta vida”, que vai muito além “dos turistas que estão no hotel, que visitam a cidade, vão aos restaurantes, às quintas e ao museu”.

“Estamos a falar de muita gente que vem e inunda a cidade e todos beneficiam”, frisou o autarca, acrescentando que a maior parte dos comerciantes aproveita para alargar o horário de funcionamento e ter mais lucro.

A avaliar por aquilo que aconteceu em junho, “as pessoas estão ávidas de sair e de participar nos eventos que se estão a desenvolver” e, por isso, é esperada “uma enchente” em Lamego, no distrito de Viseu, entre 25 de agosto e 09 de setembro, afirmou.

Francisco Lopes espera que participem nos festejos não apenas os residentes em Lamego, mas também “pessoas de concelhos vizinhos e muitos turistas que estão na região e que terão curiosidade em perceber o que é que é esta romaria”.

O programa, que foi hoje apresentado publicamente, inclui atividades religiosas, culturais e desportivas.

O ponto alto é a procissão de triunfo, na tarde de 08 de setembro, durante a qual, cumprindo a tradição, os andores ostentam imagens sagradas puxadas por juntas de bois. A procissão sai da Igreja das Chagas, percorre algumas das principais ruas da cidade e termina na Igreja de Santa Cruz.

A marcha luminosa (na noite de 06 de setembro), a batalha das flores (na tarde de 07 de setembro), as arruadas por rusgas populares que percorrem a cidade com temas populares e cantigas ao desafio, a iluminação das principais ruas e avenidas e o fogo de artifício são outros aspetos marcantes das festas.

“Haverá também atividades de animação, com os artistas, e um conjunto de eventos desportivos e culturais organizados por entidades locais”, acrescentou Francisco Lopes.

O Zigurfest, o festival Folk, a concentração motard, um espetáculo das Jornadas Mundiais da Juventude e a XI Exposição de Objetos Escutistas são alguns dos pontos do programa.

No entender do autarca, “é bom que cada um tome as suas precauções em função das suas condições”, mas “as pessoas saudáveis podem viver a romaria com total normalidade”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook