Câmara de Viseu vai pagar mais um milhão de euros pela recolha de lixo




A Câmara de Viseu vai pagar mais um milhão de euros pela recolha de lixo, o que permitirá melhorar o serviço prestado, disse hoje o presidente da autarquia, Fernando Ruas (PSD).

Na reunião pública do executivo camarário, Fernando Ruas deu conhecimento do novo contrato para a recolha de resíduos, no valor de 4.953.368 euros, que vigorará por oito anos.

Comparativamente ao atual contrato, há um aumento de cerca de um milhão de euros, sendo 440 mil euros “do acréscimo de taxas” a pagar ao Estado, explicou.

No final da reunião, Fernando Ruas disse aos jornalistas que ainda não foi apreciado o impacto que este aumento do valor do contrato poderá vir a ter na fatura dos clientes.

“Vamos ter que saber que impacto é que isto tem no orçamento da câmara. A vontade é que não tenha repercussões [na fatura], mas não fizemos essa análise ainda”, afirmou.

No entanto, atendendo a que o executivo considera que “o cidadão já está sobrecarregado”, vai ver “se é possível não aumentar”, acrescentou.

Segundo Fernando Ruas, o contrato inclui “lavagens de contentores, recolhas de lixos, recolha de resíduos urbanos indiferenciados, limpeza da zona envolvente, biorresíduos”, instalação de um dispositivo que (por radiofrequência) permita perceber a quantidade de lixo no contentor, “uma plataforma de gestão de informação e ainda os veículos de recolha”.

“Temos a ideia de que é necessário melhorar a recolha. Até eu, como cidadão, me queixo”, admitiu Ruas durante a reunião.

O vice-presidente da autarquia, João Paulo Gouveia, garantiu que, com este contrato, “vai melhorar o serviço, a limpeza e a desinfeção” e a recolha será feita mais dias por semana.

Foi também levado à reunião de hoje o parecer prévio da câmara relativamente à construção do Centro de Ambulatório e Radioterapia do Centro Hospitalar Tondela-Viseu.

Perante a proposta de Fernando Ruas de ser emitido um parecer favorável, o vereador do PS João Azevedo regozijou-se com o aparecimento deste dossier na câmara de Viseu, o que “vem confirmar aquilo que durante meses” o seu partido disse.

Fernando Ruas comparou a situação a uma mulher que acabou de casar e foi ao ginecologista, mas ainda não está grávida, portanto, “não há ainda razão para deitar um foguete”.

“Cá estarei a aplaudir se as coisas se concretizarem”, garantiu.

João Azevedo assegurou que este investimento vai ser concretizado e pediu que, “no primeiro ato da gravidez”, ou seja, “na primeira ecografia”, a câmara “faça uma declaração pública” sobre a concretização desta obra em Viseu.

“Faço votos que o senhor não tenha que vir fazer aqui uma penitência. Até o convido a seguir a irmos os dois ali aos Terceiros (Igreja dos Terceiros de São Francisco)”, gracejou Ruas.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Facebook