Câmara de Viseu cria programa de relançamento da economia

A Câmara de Viseu vai desenvolver um programa de incentivo à manutenção e relançamento da economia local e regional, que inclui 34 medidas e privilegia os setores considerados “motores de emprego”.

 



Denominado “Viseu Investe +”, o programa será levado na sexta-feira à reunião do executivo municipal.

O objetivo é “prosseguir as iniciativas locais de mitigação dos efeitos da crise económica e, sobretudo, estimular a reativação de atividades e dinâmicas geradoras de emprego”, avançou hoje o presidente da Câmara, Almeida Henriques.

Segundo o autarca, será dada especial atenção a setores “preponderantes para o concelho de Viseu”, como o turismo, o comércio local, os serviços e a indústria.

“Este é um programa de caráter extraordinário, que não exclui a responsabilidade do Governo nacional”, frisou.

Uma das 34 medidas é a criação de um “programa de renda apoiada para a Rua Direita”, no centro histórico, a definir no âmbito do programa “Viseu Viva”.

Almeida Henriques disse que, a “implementar a partir de agora e até junho de 2021”, este programa de renda apoiada “poderá depois ter ramificações noutras artérias do centro histórico”.

“Para já, vamos iniciá-lo com todo o programa de animação que vamos ter no verão e no Natal. Pretendemos com este programa fixar mais atividade económica no centro histórico”, realçou.

Almeida Henriques referiu que se encontra já “numa fase muito adiantada” a preparação de “um amplo programa de reanimação comercial, turística, hoteleira e de restauração do concelho”.

Esta animação será realizada especialmente no verão, “com maior incidência de julho a setembro”, e procurando “antecipar a programação de Natal”, explicou.

O autarca acrescentou que o programa de animação será centrado na Área de Reabilitação Urbana, com forte incidência na Rua Direita.

Outra das medidas é reduzir em 50% os valores relativos às rendas de julho, agosto e setembro aos arrendatários comerciais de equipamentos que são propriedade do município (no mercado municipal a redução será de 100% até ao final do ano).

Isentar de pagamento total da derrama as microempresas e pequenas e médias empresas no próximo exercício económico e antecipar pagamentos a projetistas são outras medidas do “Viseu Investe +”.

Este programa prevê ainda a disponibilização de terrenos a preços simbólicos e a celeridade nos processos de licenciamento industrial nos Parques Empresariais de Gestão Municipal, como o de Mundão e o de Lordosa.

“É um conjunto de 34 medidas que visam ajudar as pessoas do ponto de vista social, estimular os diferentes setores e ser um elemento de ajuda para os nossos comerciantes, hoteleiros, restauração e também para a nossa indústria”, frisou Almeida Henriques.

O presidente da Associação Comercial do Distrito de Viseu, Gualter Mirandez, aproveitou a sessão de apresentação do programa para manifestar a sua preocupação com o facto de “a retoma estar a ser extremamente lenta”.

“A grande expectativa que temos são os pequenos eventos que vão ser promovidos durante o verão e que são extremamente importantes para a dinamização da cidade e do comércio”, afirmou.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Facebook