Câmara de Sever vai deixar corpos sociais da Associação dos Pequenos Frutos

Pub

AGIM
Agim




O presidente da Câmara de Sever do Vouga, António Coutinho, admitiu hoje que a autarquia venha a deixar os órgãos sociais da Associação dos Pequenos Frutos (AGIM) para lhe conferir “maior sustentabilidade”.

A Associação para os Pequenos Frutos e Inovação Empresarial (AGIM), que começou por ter por objectivo o desenvolvimento de Sever do Vouga, é uma associação socioprofissional de direito privado, sem fins lucrativos, que abrange todos os intervenientes da fileira dos pequenos frutos em Portugal, sejam eles produtores, técnicos e organizações de comercialização.

António Coutinho afirmou que têm sido feitas várias tentativas para criar sustentabilidade à AGIM, considerando que a associação “é indispensável à promoção dos pequenos frutos e ao apoio aos agricultores e produtores de mirtilo”.

“A prazo, uma outra forma de a tornar mais sustentável será possivelmente a saída da Câmara dos seus órgãos sociais para poder depois fazer apoio extraordinário enquanto associação, como qualquer outra estrutura associativa”, disse o presidente da Câmara.

Com 180 produtores, muitos deles com uma produção à escala micro, Sever do Vouga é responsável por vender mais de 150 toneladas de mirtilo por ano, sem contabilizar o fruto vendido para a transformação, segundo dados da AGIM, hoje divulgados.

“É possível Sever do Vouga crescer na produção do mirtilo, bem como Portugal de um modo geral”, defendeu António Coutinho, explicando que “se ao nível externo, a saída do fruto é boa, internamente o mesmo ainda não se verifica”, mas “os pequenos frutos estão, gradualmente, a entrar nos hábitos de consumo dos portugueses”.

A AGIM, juntamente com a Câmara de Sever do Vouga, organiza a Feira Nacional do Mirtilo, que decorre entre 27 e 30 de Junho no Parque Urbano da Vila, espaço arborizado que inclui um circuito pedestre, atravessado por um ribeiro, que por si só constitui “uma excelente opção para as famílias passarem o dia” e que vai ser ampliado, segundo revelou o autarca.

“Possivelmente, para o ano, a Feira do Mirtilo já terá mais espaço, pois estamos a preparar mais uma candidatura e mais um projecto para ampliação do Parque, e dando continuidade da área verde até à zona da Escola Secundária. Ficará um Parque ainda maior e com mais condições, pelo que deveremos fazer algumas alterações na estrutura da Feira”, anunciou.

António Coutinho antevê que a 12.ª edição da Feira Nacional do Mirtilo, cujo orçamento ronda os 200 mil euros, “vai trazer a Sever do Vouga milhares de visitantes”.

Mais uma vez a entrada na Feira vai ser gratuita, de forma a atrair a visita de profissionais e de famílias ao certame, onde vão decorrer diferentes iniciativas e acções dentro e fora do recinto, sendo exemplo disso as palestras técnicas, ‘showcookings’, apanha do mirtilo e actividades de animação.




Pub

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*