“Uma vitória e um empate em sete jogos é muito pouco” – presidente do Tondela

O presidente do Tondela considerou hoje que os quatro pontos conseguidos pelo clube ‘auriverde’ em sete jornadas são insuficientes para quem pretende assegurar a manutenção na I Liga de futebol, o que levou à saída de Vítor Paneira.

“As coisas não estavam a acontecer como eu queria e, é bom que se diga, também não estavam a correr como o Vítor queria. Em sete jogos, uma vitória e um empate para o clube é muito pouco”, defendeu Gilberto Coimbra, justificando assim a saída de Vítor Paneira do comando técnico do Tondela.




Durante a conferência de imprensa de apresentação de Rui Bento, o novo treinado do Tondela, Gilberto Coimbra sublinhou que chegou facilmente a acordo com Vítor Paneira para que a sua saída se concretizasse.

“Como duas pessoas de bem que somos, facilmente chegámos a um acordo rápido. Houve desagrado de parte a parte: da minha parte pelos resultados, pela posição que ocupamos e pelos poucos feitos até agora; e o Paneira, principalmente pelo futebol apresentado que não era à imagem dele e do que queria”, sustentou.

Como não é “homem de estar muito tempo parado”, o presidente do Tondela teve de “encontrar rapidamente uma solução, entre muitas”.

“É bom que se saiba que o Tondela é um clube muito apetecível de se trabalhar, porque as ofertas foram mais do que muitas: de muitos treinadores. Entre muitos, a escolha não é fácil, pois no nosso futebol há muita qualidade relativamente a treinadores, mas em consenso com toda a minha direção escolhemos o Rui Bento”, evidenciou.

No seu entender, Rui Bento é “um treinador que já deu mostras daquilo que é”, tendo o seu perfil sido analisado mediante “aquilo que ele quer para o futebol e põe em campo”.

“Optei pelo Rui Bento e, pelo que sei dele, não me preocupei sequer em saber quem é que o acompanhava, pois aceitando, saberia, com toda a certeza, escolher a melhor equipa técnica para trabalhar com ele, tendo em conta o que o Tondela quer: os 30 pontos, com a manutenção tão rápido quanto possível, para soltarmos aqui alegrias”, apontou.

Gilberto Coimbra aproveitou também para solicitar aos sócios e simpatizantes do Tondela alguma contenção, porque este “não é um campeonato fácil”.

“Não o era para o Vítor [Paneira], não o vai ser para o Rui [Bento], para mim e para o clube. É um campeonato de sofrimento e será uma vitória se todos chegarmos ao fim assegurando a manutenção”, concluiu.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.