Serviço de Urgência Básica de São Pedro do Sul, esteve sem médicos durante várias horas nesta Terça-feira

SUB sps
centro saude sps





O Serviço de Urgência Básica, instalado no centro de saúde de São Pedro do Sul, esteve sem médicos ao serviço durante várias horas, ao longo desta Terça-feira. O alerta começou a ser dado nas redes sociais, por utentes que tentaram dirigir-se ao serviço. Ao que apuramos, pelas denúncias expostas, cerca das 06:00 da manhã, existiria apenas um médico a proceder a atendimento (quanto este tipo de serviço, obriga no mínimo à permanência de dois clínicos), médico esse, que a essa hora da manhã, terá abandonado as instalações, sem que ninguém o substituísse.

Confrontado pela Lafões FM, com esta situação, o director executivo do ACES Dão Lafões, Luís Botelho, afirmou ter tido conhecimento deste caso pouco depois das 09:00 da manhã de hoje e frisou que o mesmo se deveu a interpretações diversas feitas, por um lado pelo ACES Dão Lafões e por outro pela empresa prestadora de serviços, responsável pela colação de médicos na SUB de São Pedro do Sul ao ajuste directo que foi celebrado.

Segundo este responsável, o ajuste directo tem vigência até ao final do presente mês de Janeiro, não sendo de temer, que esta situação se venha a repetir.

Contrariamente ao que a Lafões FM, teve conhecimento, de que desde cerca das 06:00, não existia nenhum clínico no serviço, Luis Botelho afirma que apenas tem conhecimento da falta de clínicos a partir das 08:00 da manha. Questionado se considera normal, um médico abandonar o serviço de urgência, sem que haja, alguém para o substituir, Luís Botelho, afirmou “em primeiro lugar não é normal, em segundo lugar não creio que isso tenha ocorrido, já que não me foi reportado”.

Confrontado com o facto de mais cedo ou mais tarde, o médico ou médicos ao serviço, terem abandonado o “banco de urgências” sem ninguém os substituir (pois é evidente que até às 14:00, o SUB, não teve médicos ao serviço), Luís Botelho justifica a situação com o facto de os médicos de família terem os seus doentes para verem e as consultas terem de ser realizadas no horário programado.

O Director do ACES Dão Lafões, garantiu que a partir das 20:00 de hoje a situação está completamente normalizada e que o serviço de urgência, será assegurado por dois clínicos, um colocado pelo próprio ACES e outro proveniente da empresa prestadora de serviços, que mantém contrato até ao final de Janeiro. Luís Botelho, descarta também a possibilidade, de com o final deste contrato a 31 de Janeiro, a situação voltar a repetir-se e garante normalidade para o futuro.




Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.