Presidente da Câmara de Nelas destitui vice-presidente por falta de confiança política


O presidente da Câmara de Nelas, Borges da Silva, determinou ontem a destituição do seu vice-presidente, Alexandre Borges, alegando “falta de confiança política” para a tomada desta posição.

De acordo com o despacho assinado ontem pelo autarca de Nelas, Alexandre Borges foi destituído, de forma imediata, das funções de vereador a tempo inteiro e ainda das suas funções de vice-presidente.

“A razão das destituições acima referenciadas tem na base a falta de confiança política e de solidariedade que o senhor vereador vinha manifestando face às posições do presidente de Câmara, o que culminou com a inevitável falta de confiança política do presidente de Câmara nele, sendo que tal confiança é essencial para a defesa das políticas para as quais a gestão da Câmara se encontra mandatava”, lê-se no documento.

No despacho, o autarca de Nelas deixa ainda um agradecimento público a Alexandre Borges pelo trabalho desenvolvido e nomeia vice-presidente a até agora vereadora Sofia Relvas.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Nelas, Borges da Silva, evidenciou que as razões para esta destituição foram apresentadas de forma clara no despacho, acrescentando que a sua grande preocupação assenta “na realização de melhorias no concelho, para promover o seu desenvolvimento e bem-estar da população”.

Já Alexandre Borges referiu à Lusa que a única divergência que lhe ocorre ter tido com o autarca de Nelas está relacionada com a atribuição de subsídios de reintegração a antigos autarcas, aguardando por outros esclarecimentos.

“Não é meu feitio criar guerrilhas, mas calculo que tenha a ver com isso. O despacho da exoneração de hoje até tem a data rasurada, sendo a data inicial de 14 de outubro de 2015, daí que relacione com essa votação relativa à atribuição de subsídios de reintegração, com os quais não concordo, mas tenho consciência de que se foram pagos ao ex-presidente José Correia, também tinham de ser pagos ao ex-vereador Rui Neves, tal como o tribunal veio a decidir”, referiu.

Alexandre Borges evidenciou ainda que vai cumprir o seu mandato de vereador, para o qual foi eleito pelas listas do PS, por respeito a todos os munícipes que votaram em si.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.