Governo avança este ano com programa de promoção das termas

Secretária de Estado Ana Mendes Godinho




A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, afirmou ontem que vai ser lançado este ano um programa de promoção das termas portuguesas dirigido ao mercado nacional e estrangeiro.

“Vamos construir um programa de promoção das termas em Portugal para voltar a conquistar os portugueses para as termas, para que os portugueses voltem a ter as termas quase como necessidades anuais”, anunciou Ana Mendes Godinho, que falava em São Pedro do Sul, no distrito de Viseu, um dos maiores pontos de atração termal do país.

Questionada pela agência Lusa, Ana Mendes Godinho referiu que o programa está a ser preparado e será lançado “ainda este ano, brevemente”.

Depois de o Orçamento do Estado para 2018 prever o regresso dos reembolsos do Serviço Nacional de Saúde relativos a despesas com tratamentos em termas com prescrição médica, o Governo pretende, com “um programa integrado”, que “as termas voltem a estar na mente dos portugueses, por um lado, mas também em termos de posicionamento internacional”.

A secretária de Estado falava após a sessão de apresentação de vários projetos apoiados pelo Portugal 2020 e pelo programa Valorizar no concelho de São Pedro do Sul.

Durante o discurso, a governante sublinhou que as termas em Portugal “já tiveram um peso muito grande e precisavam de um novo fôlego”, destacando este setor como “um produto chave”, ainda para mais por grande parte localizar-se “no interior do país”.

As termas “podem ser um produto âncora para a dinamização de várias regiões”.

“Têm tudo para ser um produto de futuro”, sublinhou.

Durante a sessão, o presidente da Câmara de São Pedro do Sul, Vitor Figueiredo, apresentou os vários projetos da autarquia para o concelho que foram recentemente aprovados no programa Valorizar.

O município vai investir 190 mil euros na acessibilidade turística dos claustros do Convento de São José, instalar ‘wifi’ gratuito (76 mil euros) e criar um percurso lúdico nas margens do Vouga para ligar as termas à Ecopista do Vouga, um projeto de 557 mil euros.

De acordo com o gabinete de imprensa da autarquia, os passadiços junto ao Vouga vão permitir ligar o troço existente da ecopista do Vouga à zona das termas.

“O projeto contempla a instalação de percursos ribeirinhos” entre o Gerós e o Carvalhedo, na margem esquerda do rio Vouga, e entre o parque de estacionamento e a EN16, na margem direita.

“Este percurso também prevê a ligação à ecopista no sentido para Vouzela com marcação de uma pista ciclável pelos arruamentos existentes e utilizando o túnel existente na variante das termas”, acrescentou o gabinete de imprensa.

Para além dos projetos aprovados no programa Valorizar, foram ainda apresentados dois investimentos privados, ao abrigo do Portugal 2020, de qualificação do Hotel Vouga e do Grande Hotel Lisboa, para passarem de três estrelas para quatro, num investimento total “superior a oito milhões de euros”, frisou Vitor Figueiredo.




Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.