Comunidade Viseu Dão Lafões submete candidatura para modernização administrativa


A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões anunciou hoje que submeteu uma candidatura no âmbito da modernização administrativa, com um investimento elegível de 2,5 milhões de euros e que visa aumentar a eficiência dos serviços prestados pelos municípios aos cidadãos.

Em comunicado, a CIM Viseu Dão Lafões informou que a candidatura designada “Modernização Administrativa na Região Viseu Dão Lafões – Um Modelo, Catorze Municípios” foi submetida na quinta-feira, no âmbito do Programa Operacional Regional do Centro – Centro 2020.

A referida candidatura, “com um investimento elegível de 2,5 milhões de euros e um fundo associado de 2,1 milhões de euros”, tem como objetivo “aumentar a eficiência e a qualidade dos serviços prestados pelos municípios no seu relacionamento com os cidadãos e empresas, alinhado com os normativos nacionais de qualificação do serviço público e de uma administração pública eficiente e de qualidade, reduzindo custos públicos de contexto e promovendo o uso intensivo das tecnologias de informação e comunicação”.

“Com esta candidatura, a CIM Viseu Dão Lafões pretende continuar a promover a simplificação administrativa, incluindo a administração eletrónica e a contínua modernização dos serviços públicos, numa lógica de inovação e homogeneidade de processos e operações entre municípios”, acrescentou.

No documento, Viseu Dão Lafões revelou ainda que pretende melhorar os sistemas de apoio à gestão e decisão, pelo que irá “investir num conjunto de plataformas que permitirão chegar de forma mais célere, transparente e capazes de fornecer uma melhor informação aos cidadãos”.

“Destes investimentos, destaca-se a necessidade de dar continuidade à estratégia articulada de criação, desenvolvimento e implementação de um SIG [Sistema de Informação Geográfica] à escala intermunicipal, sustentado nos sistemas de informação geográfica municipais, com capacidade de comunicarem entre si e interoperar com outros sistemas, bem como a implementação de novas soluções, nomeadamente, a plataforma de educação, a plataforma de orçamento participativo, entre outras”, sublinhou.

De acordo com a CIM Viseu Dão Lafões, esta intervenção será acompanhada por “um processo de reengenharia e desmaterialização de processos, não só com o objetivo de adequar e integrar as soluções que se pretendem adquirir, mas também com o objetivo de redesenhar os processos de forma a melhor potenciar as aplicações”.

Paralelamente, a candidatura vem também “dar resposta à necessidade sentida pelos municípios ao nível da sua capacitação interna, de modo a gerir a capacidade de crescimento e de custos de armazenamento, redução de custos operacionais e garantir a existência de uma solução que permita a continuidade do negócio em caso de acidente, tendo sido estruturada, de forma inovadora, uma solução de ‘disaster recovery’ [recuperação de dados após falha]”.

“Pretende-se, ainda, reduzir custos de aquisição, continuando a fortalecer a central de compras da CIM Viseu Dão Lafões, que se encontra ao serviço dos municípios, permitindo-lhes não só ter poupanças financeiras diretas nos custos de aquisição fruto da agregação das necessidades, bem como a diminuição dos custos administrativos, dado os procedimentos efetuados ao abrigo de Acordos Quadros serem mais expeditos e simples”, destacou.

No que diz respeito ao balcão único ‘online’, pretende “reforçar a disponibilização de serviços ‘online’ aos cidadãos e empresas, aumentando, para o efeito, o número de processos disponibilizados, implementando e promovendo o uso da chave móvel digital, nos mesmos termos em que se encontra a ser promovida pela Agência para a Modernização Administrativa”.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.